PR espera que Governo lhe comunique "factos relevantes"

O Presidente da República disse este domingo esperar que o Governo lhe comunique "factos relevantes" logo que tenha conhecimento deles e espera que isso tenha acontecido em relação ao caso BES.

"O Presidente da República não tem ministérios, não tem serviços de execução de políticas, não tem serviços de fiscalização ou de investigação e, portanto recebe toda a informação das entidades oficiais", afirmou Cavaco Silva, em Arganil.

A Presidência "espera que logo que o Governo tenha conhecimento de factos relevantes não deixe de [lhe] comunicar", e espera que no caso BES isso "tenha acontecido assim - porque é o que resulta da Constituição".

Cavaco Silva falava aos jornalistas depois de ter presidido à sessão comemorativa dos 900 anos do foral de Arganil.

"O Presidente da República é informado em primeiro lugar pelo Governo e é a essa informação que atribui mais importância", acrescentou.

Acrescentou que "ouve, no entanto, muitos agentes económicos, sociais e culturais, regista tudo o que eles lhe dizem e, muitas vezes, tem essas informações que recolhe nas [suas] conversas com o Governo".

O Banco de Portugal "já deu as explicações que considerava adequadas no caso do BES", sustentou o chefe de Estado, referindo que é esta "a autoridade fiscalizadora do nosso sistema bancário".

Cavaco Silva disse que, "perante a situação complexa com que foram confrontadas, as autoridades portuguesas analisaram as várias alternativas" e, de acordo com a informação que ele possui, "escolheram a que consideravam melhor para os interesses nacionais".

"Considero que o Banco de Portugal, de acordo com as competências que lhe cabem, nos termos da lei e tendo em conta as regras comunitárias, enfrentou uma situação extremamente difícil da forma melhor para defender os interesses nacionais", conclui o Presidente da República.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG