Portugal pode tornar-se um dos primeiros países da Europa a ter uma deputada transexual

Bloco de Esquerda incluiu Júlia Pereira, conhecida ativista na Europa pelos direitos das minorias sexuais, na lista de Setúbal, em lugar elegível nas legislativas.

Pela primeira vez em Portugal, a Assembleia da República pode vir a contar com uma deputada transexual. Segundo o Jornal de Notícias, o Bloco de Esquerda decidiu incluir na lista do círculo de Setúbal, em lugar elegível nas legislativas de outubro, Júlia Pereira, transexual com reconhecido percurso de ativismo na Europa, na área das minorias sexuais, e que é militante do BE há vários anos.

Dirigente da associação "Ação pela Identidade", a escolha de Júlia Pereira poderá significar que o BE quer apostar nos temas fraturantes na próxima legislatura. Se a ativista chegar ao parlamento, Portugal tornar-se-á num dos primeiros países da Europa a contar com uma deputada transexual. O primeiro caso aconteceu na Polónia: em 2013, a deputada transexual Anna Gradzka foi eleita para o parlamento pelos Verdes.

A lista setubalense de Júlia Pereira é encabeçada por Joana Mortágua, irmã da deputada Mariana Mortágua, que lidera a lista por Lisboa.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG