Portugal e Espanha defendem medidas de crescimento

Portugal e Espanha estão a trabalhar juntos na União Europeia (UE) em defesa de políticas que impulsionem o crescimento e o emprego, especialmente entre os trabalhadores mais jovens, disse em entrevista à Lusa o presidente do Governo espanhol.

"Espanha e Portugal mantêm uma colaboração estreita no seio da UE para que as imprescindíveis reformas nacionais e o saneamento de nossas contas públicas sejam acompanhadas por parte da UE também com reformas europeias e medidas impulsoras do crescimento e do emprego, especialmente do emprego jovem", disse Mariano Rajoy.

"E também para que se corrija a fragmentação dos mercados financeiros e volte a fluir o financiamento para as nossas economias", afirmou Rajoy numa entrevista por correio eletrónico.

Em resposta a perguntas colocadas pela Lusa na véspera da XXVI Cimeira Ibérica, que decorre na segunda-feira, em Madrid, o líder do executivo espanhol insistiu na defesa da criação "sem mais atrasos" da união bancária europeia.

Ao mesmo tempo, disse ser urgente que a UE utilize todos os instrumentos ao seu dispor para que flua o financiamento às pequenas e médias empresas, que são "fundamentais no tecido empresarial e que são as que podem criar emprego".

Rajoy considerou "um falso debate" a aparente divisão entre o Norte e o Sul da Europa, declarando que "só existe uma União Europeia" que tem como "principal prioridade política", no momento atual, "a recuperação económica e a criação de emprego".

Isso não exclui que em todo o processo de integração política "existam múltiplos interesses em jogo" que as instituições europeias, em que estão representados os Estados e os seus cidadãos, procuram gerir.

"Mas isso não significa, em nenhum caso, uma dicotomia entre o Norte e o Sul, como se demonstra pela importância reconhecida pela Alemanha, que apresenta uma taxa muito reduzida de desemprego jovem, no combate a este fenómeno", referiu.

"Insisto: na Europa temos que ser conscientes de que não existem jogos de soma zero. Se as coisas vão bem ao vizinho, irão bem para nós e vice-versa", afirmou.

Mariano Rajoy considerou que o facto de Portugal e Espanha terem, atualmente, governos da mesma família política "contribuiu para a grande sintonia" que existe, fortalecendo laços privilegiados que potenciam a "concertação política no seio da UE".

O líder do Governo espanhol destacou que essa colaboração ibérica no espaço europeu se alarga a temas como a defesa da política de coesão "como catalisador do desenvolvimento económico", no decurso das negociações sobre o Quadro Financeiro Plurianual 2014-2020.

Portugal e Espanha, destacou, trabalham ainda unidos na defesa das Regiões Ultraperiféricas e no impulso da Política Europeia de Vizinhança na sua vertente meridional, "tradicionais reivindicações tanto de Espanha como de Portugal".

Os dois países trabalham também junto das instituições europeias para fortalecer as ligações energéticas e de comunicações entre os dois países, disse.

Mariano Rajoy e o primeiro-ministro português, Pedro Passos Coelho, lideram as delegações dos dois Governos à XXVI Cimeira Ibérica, cuja agenda será marcada por temas europeus e por questões como o mercado de gás e as ligações ferroviárias.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG