Portas ignora PSD e põe feriado do 1.º de Dezembro na agenda

Sociais-democratas surpreendidos pela iniciativa do líder do CDS. PS mede o pulso à maioria e apresenta esta segunda-feira uma proposta de reposição.

Sem dizer nada ao parceiro de coligação, Paulo Portas vai levar ao Conselho Nacional do CDS, marcado para dia 13, em Elvas, uma proposta sobre o feriado do 1.º de Dezembro. Uma situação que criou mal-estar no PSD. O DN apurou que o presidente centrista vai defender a reposição do feriado da Restauração da Independência, mas nos termos definidos na lei, que permite uma reavaliação até 2017 - embora não esteja prevista, para já, qualquer iniciativa parlamentar.

Nuno Magalhães, autor das primeiras declarações sobre o assunto, na SIC Notícias, explicou ao DN o que estava em causa. "O que disse foi que o presidente do CDS iria apresentar no Conselho Nacional uma proposta relativamente ao 1.º de Dezembro", sublinhou. Questionado sobre se essa iniciativa era a de repor este feriado, o líder parlamentar afiançou: "Não sei o conteúdo da proposta, apenas que se cinge ao 1.º de Dezembro e que em tempo algum o presidente do partido me disse que seria em 2015 ou que se alargaria aos outros feriados". "Mais pormenores só mesmo no Conselho Nacional", acrescentou o vice-presidente do CDS

Do lado do PSD, o avanço foi recebido com estupefação. "Não soubemos de nada", afirmava ao DN um alto dirigente dos sociais-democratas, dando a entender que o vice-primeiro-ministro não articulou a proposta com Passos Coelho. Porém, o mesmo relato dá conta de que "não parece que haja viabilidade para fazer essa discussão agora", tendo em conta que a janela para apreciar a reposição desse e dos demais (três) feriados suspensos desde 2012 está aberta até 2017.

Leia mais na versão impressa ou no e-paper do DN

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG