Portas elogia contributo de Sá Carneiro para centro-direita

O líder do CDS, Paulo Portas, elogiou hoje a contribuição do antigo primeiro-ministro Francisco Sá Carneiro para a união do centro-direita, explicando que não estará na missa evocativa da morte daquele político por se encontrar em Bruxelas.

"Sá Carneiro foi o líder que uniu todo o centro-direita em Portugal. Amaro da Costa é ainda hoje o político exemplar de todos os democratas cristãos no nosso país", disse Paulo Portas em declarações à Lusa, lamentando estar ausente da missa que hoje se realiza, 32 anos depois da morte daqueles dois políticos.

"Estando hoje a representar Portugal no Conselho de Ministros da NATO em Bruxelas, não poderei, infelizmente, estar presente em Lisboa na missa evocativa de Sá Carneiro, Amaro da Costa e seus acompanhantes", afirmou.

Numa mensagem enviada à agência Lusa, Paulo Portas disse que "Sá Carneiro e Amaro da Costa foram dois dos grandes políticos portugueses do século XX" e que os portugueses lhes devem "uma parte da liberdade".

Lembrando o "seu admirável exemplo de combate político", o presidente do CDS considerou que Sá Carneiro e Amaro da Costa "morreram por uma causa", e criticou a incapacidade para apurar responsabilidades.

"O sistema judicial falhou demasiado na investigação sobre as causas da sua morte", disse.

A tragédia de Camarate já motivou até agora nove comissões de inquérito parlamentares, que têm tido conclusões divergentes ao longo do tempo, entre as teses de atentado e acidente.

A última comissão de inquérito, que terminou em abril de 2011, na sequência da dissolução da Assembleia da República, assumiu as conclusões do inquérito anterior: que a queda do Cessna foi provocada por um engenho explosivo a bordo, admitindo um ato de natureza criminosa.

A constituição da décima comissão parlamentar de inquérito ao caso Camarate já foi aprovada mas os trabalhos só deverão arrancar após a conclusão do inquérito às parcerias público/privadas.

Apesar da ausência na missa de hoje, Paulo Portas disse que o partido "estará naturalmente representado a alto nível" e que no próximo fim de semana será prestada, no Instituto Democracia e Liberdade, "homenagem à memória de Amaro da Costa com a presença amiga do presidente do PPE".

PSD e CDS-PP assinalam hoje o 32.º aniversário da morte de Francisco Sá Carneiro e Adelino Amaro da Costa em Camarate com a celebração de uma missa em memória dos antigos primeiro-ministro e ministro da Defesa.

O PSD estará representado por vários membros da direção nacional, incluindo o presidente e primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho.

Do lado do CDS-PP, a representação estará a cargo do ministro da Solidariedade e Segurança Social, Pedro Mota Soares, o líder parlamentar Nuno Magalhães, a vice-presidente Teresa Caeiro e o secretário-geral António Carlos Monteiro.

Francisco Sá Carneiro e Adelino Amaro da Costa morreram a 04 de dezembro de 1980 na sequência da queda do Cessna em que viajavam, que se despenhou na freguesia de Camarate.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG