Portas diz ser possível repor 20% dos salários em 2015

O vice-primeiro-ministro, Paulo Portas, afirmou hoje que o "país não pode voltar de uma assentada a 2010", considerando que a devolução gradual de salários e das pensões que pagavam Contribuição Extraordinária de Solidariedade (CES) é uma medida razoável.

"O país não pode voltar de uma assentada, de um dia para o outro, a 2010, porque se voltar de uma assentada a 2010 volta à raiz do problema. É preciso fazer gradualismo, é preciso fazer aquilo que é possível, é preciso encontrar soluções razoáveis", disse Paulo Portas aos jornalistas à margem de um encontro de trabalho do Partido Popular Europeu (PPE), que decorre entre hoje e quarta-feira em Albufeira.

Nesse sentido, para o vice-primeiro-ministro, a reposição dos salários nos próximos quatro anos (em 20% já em 2015) é uma medida "razoável e possível".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG