Portas diz que teve de ler duas vezes declarações de Sócrates sobre dívidas para acreditar

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Paulo Portas, disse hoje que teve de ler duas vezes as declarações de José Sócrates sobre o pagamento de dívidas "para acreditar que um antigo primeiro-ministro tinha dito isso".

"O único comentário que me ocorre, com toda a franqueza, é que está explicado como é que o setor público e as empresas públicas atingiram o nível de dívida absolutamente astronómica que se atingiu em Portugal: é porque o primeiro-ministro pensava que não se pagava", disse.

Paulo Portas comentava em Bruxelas, à margem de uma reunião de chefes de diplomacia da NATO, uma declaração proferida por Sócrates em Paris durante uma palestra, e hoje reproduzida pelo "Correio da Manhã", segundo a qual "para pequenos países como Portugal e Espanha, pagar a dívida é uma ideia de criança", pois "as dívidas dos Estados são por definição eternas".

O ministro dos Negócios Estrangeiros e líder do CDS-PP disse que, ao ser informado dessa declaração, teve "que a ler segunda vez para acreditar que um antigo primeiro-ministro tinha dito isso", e acrescentou que, "infelizmente, como as pessoas sabem", porque estão a sofrer sacrifícios, "as dívidas pagam-se".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG