Portas diz que Estado "defendeu e bem os seus interesses"

O ex-ministro da Defesa Paulo Portas afirmou esta sexta-feira que o Estado "defendeu e bem os seus interesses" no contrato de compra dos submarinos, dizendo que isso pode ser comprovado através da comparação com as PPP.

Paulo Portas lembrou que os juros do contrato eram de "25 pontos percentuais", muito distantes daqueles em que se pagam "150 ou 500 pontos percentuais".

O agora vice-primeiro-ministro, que intervinha na comissão parlamentar de inquérito à compra de equipamentos militares, realçou também que organizou "um leilão de bancos" para obter um contrato de leasing mais favorável para o Estado.

O deputado José Magalhães (PS) perguntou depois a Paulo Portas "onde está a documentação" relativa a esse leilão bancário, que a comissão desconhece.

Paulo Portas disse desconhecer onde possam estar os referidos documentos.

O ex-ministro da Defesa insistiu também que, no âmbito do concurso dos submarinos, o concorrente alemão perdeu no critério relativo às contrapartidas para o candidato francês.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG