Pelo menos 25 vice-presidentes são candidatos nas próximas autárquicas

Um total de pelo menos 25 atuais vice-presidentes de Câmaras já confirmaram a candidatura à liderança das respetivas autarquias, com os seus atuais responsáveis impedidos de se recandidatarem às próximas eleições.

A este número somam-se os dez vice-presidentes que já assumiram ao longo deste mandato o lugar de presidentes de Câmara, com a saída dos cabeças-de-lista em 2009, todos eles impedidos de concorrer em 2013.

Cerca de metade dos presidentes de Câmara eleitos em 2009 está impedida de se recandidatar em 2013 ao mesmo município, devido à lei que limita a três os mandatos consecutivos dos presidentes de câmara, e em muitos dos casos já conhecidos quem avança como candidato é o atual vice-presidente da autarquia.

No Alto Minho, estão aprovados como candidatos os vice-presidentes das câmaras de Caminha, Flamiano Martins (PSD), de Monção, Augusto Domingues (PS), e de Melgaço, Manoel Baptista (PS), 'vice' do atual presidente dos autarcas socialistas, Rui Solheiro.

Em Braga está confirmado como candidato o 'vice' Vítor Sousa (PS) e em Guimarães Domingos Bragança (PS).

No distrito de Bragança avançam Duarte Moreno (PSD), atual 'vice' de Macedo de Cavaleiros, António Pimentel (PSD) em Mogadouro, José Aires (PS) em Torre de Moncorvo, Fernando Barros (PS) em Vila Flor e Jorge Fidalgo (PSD), em Vimioso.

O vice-presidente Luís Correia é candidato pelo PS em Castelo Branco, para substituir Joaquim Morão, e o 'vice' Armindo Jacinto é o candidato socialista em Idanha-a-Nova.

No distrito de Santarém há 11 presidente de câmara que não se podem recandidatar: estão confirmados como candidatos do PSD os atuais vice-presidentes das câmaras de Mação, Vasco Estrela; de Almeirim, Pedro Ribeiro; de Coruche, Francisco Oliveira; da Golegã, Rui Medinas; de Torres Novas, Pedro Ferreira; e de Vila Nova da Barquinha, Fernando Freire.

O vice-presidente de Arruda dos Vinhos, Lélio Lourenço, vai ser o candidato do PSD à câmara e Paulo Vistas, 'vice' de Isaltino Morais na Câmara de Oeiras, será o candidato pelo movimento independente Oeiras Mais " Frente.

No Montijo, o 'vice' Nuno Canta é o candidato do PS às próximas eleições, enquanto o PSD já anunciou o nome do vice-presidente António Pita como candidato a Castelo de Vide, para substituir António Ribeiro, no terceiro mandato.

O candidato do PS a São Brás de Alportel, Vítor Guerreiro, é vice-presidente da autarquia desde 2005 e, no Funchal, o social-democrata Bruno Pereira, que foi o vice-presidente de Miguel Albuquerque na câmara até às eleições diretas do partido na Madeira é o candidato assumido pelo líder do PSD-M, Alberto João Jardim, às autárquicas.

Em Sintra, verifica-se uma das situações mais insólitas com o "número dois" da Câmara, Marco Almeida, a anunciar a sua candidatura, mesmo que por uma lista de independentes, depois do PSD ter indicado o nome do deputado Pedro Pinto para suceder a Fernando Seara.

Nos últimos anos, já diversos vice-presidentes foram assumindo as funções de presidente da câmara quando os autarcas eleitos em 2009 renunciaram.

Em Coimbra, Carlos Encarnação (PSD) deu o lugar a João Paulo Barbosa de Melo, Hortênsia Menino (CDU) assumiu em dezembro a presidência de Montemor-o-Novo, após a saída de Carlos Pinto de Sá; em Serpa, o antigo 'vice' Tomé Pires "herdou", em novembro, o cargo do "histórico" comunista João Rocha; e, em Portalegre, Adelaide Teixeira (PSD) assumiu a meio do atual mandato a liderança da autarquia, após a renúncia de Mata Cáceres.

Em Santarém, Ricardo Gonçalves, presidente após a demissão de Moita Flores, é o candidato já anunciado pela nacional do PSD e em Mirandela também avança o 'vice', António Branco (PSD), na presidência desde o início de 2012, quando José Silvano deixou o cargo.

Em Cascais, Carlos Carreiras (PSD) vai pela primeira vez a eleições, apesar de ocupar o cargo de presidente por suceder a António Capucho em 2011, em Tomar, Carlos Carrão, o 'vice' que subiu à presidência com a renúncia de Corvêlo de Sousa, poderá também ser o candidato e Paulo Fernandes, presidente do Fundão desde a renúncia de Manuel Frexes, é o nome do PSD.

Já nos Açores, a saída em 2012 de Berta Cabral (PSD) da liderança da maior câmara do arquipélago, abriu caminho à subida do até então seu vice-presidente, José Manuel Bolieiro.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG