Pedro Filipe Soares líder parlamentar "enquanto o partido quiser"

Bloquista realçou que cabe à nova Mesa Nacional deliberar sobre a Comissão Política e a coordenação do partido.

O bloquista Pedro Filipe Soares afirmou hoje que é líder parlamentar "enquanto o partido achar que vale a pena" e que cabe à nova Mesa Nacional deliberar sobre a Comissão Política e a coordenação do BE.

Em declarações aos jornalistas no final da IX Convenção do BE, que terminou sem uma liderança confirmada, o deputado disse "não ser a favor de prognósticos na política".

O dirigente e presidente do grupo parlamentar, que encabeçou uma moção alternativa à dos atuais coordenadores, referiu que Convenção do BE "não é um processo de primárias" e que lhe cabe eleger "uma Mesa Nacional que delibera sobre a Comissão Política e a coordenação".

"A Mesa Nacional com toda a sua liberdade e capacidade decidirá sobre a Comissão Política e a par disso sobre o modelo de coordenação, será em breve e todos poderão falar sobre essa matéria", declarou.

Sobre a sua continuidade à frente dos destinos da bancada, Pedro Filipe Soares assinalou que "essa é uma tarefa como outras", que ocupa "enquanto o partido achar que vale a pena", ressalvando que isso não esteve em discussão nesta reunião magna.

"Se entenderem que vamos por esse caminho logo analisaremos, agora, é um debate que teremos nas próximas semanas, não era para ser tido aqui, veremos nas próximas semanas como é que internamente e na Mesa Nacional se constrói a Comissão Política e se constrói o projeto para os próximos meses do BE", respondeu aos jornalistas.

Interrogado sobre se está disponível para contribuir para a unidade do BE, Pedro Filipe Soares afirmou: "A unidade de qualquer projeto político faz-se com a força das ideias políticas".

A IX Convenção Nacional terminou hoje, após uma disputa inédita ao nível da direção e entre fundadores do BE, sem uma nova liderança confirmada.

A "moção unitária" de João Semedo, que discursou no encerramento dos trabalhos, contou com maior apoio político dos delegados (266 votos), mas verificou-se um empate entre as duas listas mais representativas na eleição da Mesa Nacional, com 34 representantes para cada lado.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG