PCP critica nome Cuba Livre para operação na Madeira

O coordenador regional da Madeira do PCP, Edgar Silva, criticou hoje a escolha das autoridades do nome "Cuba Livre" para a operação judicial que está a verificar as contas da região, pelo Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP).

"Todos estamos a acompanhar certamente aquela operação que, não sei por que obras de arte haviam de chamar 'Cuba Livre' em vez de chamar '

"Foram chamar 'Cuba livre' a um programa que é de combate ou deveria ser um sério combate à corrupção, esperemos que não vá acontecer como em tantos outros casos onde se pretendeu combater a corrupção e mais não aconteceu do que mais e mais impunidade" para os suspeitos. "Esperemos que isto seja o inicio de uma investigação séria e rigorosa e consequente face aquilo que é o problema gravíssimo da corrupção na

Edgar Silva realçou ainda que a luta contra o "programa de agressão" que Alberto João Jardim está a executar sobre o povo madeirense "é também uma luta por abril", numa referência às medidas de austeridade, devido à dívida pública regional de 6 mil milhões de euros.

A revolução de abril "foi o tempo mais luminoso de toda a História de Portugal", de "construção de um tempo novo, de justiça social, de direitos humanos reconhecidos, de paz e de solidariedade" e da construção da "mais avançada democracia alguma vez existente em Portugal".

"A revolução de Abril foi liberdade, foi direito ao trabalho com direitos, foi direito à saúde, direito ao ensino, direito à Segurança Social", disse o dirigente comunista madeirense, considerando que "por isso é preciso lutar por Abril e impedir que roubem Abril ao povo".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG