Paulo Portas saúda resultado "consistente, resistente e sustentado" do CDS

O partido "resistiu muito bem a uma operação política que era uma espécie de todos contra o CDS, promovida pelo PS", disse Portas.

O presidente do CDS-PP saudou hoje o líder centrista madeirense pelo "resultado especialmente consistente, resistente e sustentado", apontando críticas a sondagens e comunicação cocial por falta de reconhecimento do "segundo partido" daquela região autónoma.

Paulo Portas felicitou o dirigente do CDS-Madeira, José Manuel Rodrigues, numas "eleições especialmente difíceis"

"Consolida o segundo lugar, não teve um resultado ocasional há quatro anos, volta a ser o segundo partido, o líder da oposição, a cabeça da alternativa, de longe o segundo grupo partidário na Assembleia Regional da Madeira", congratulou-se o vice-primeiro-ministro, na sede lisboeta dos democratas-cristãos.

Segundo o máximo dirigente centrista, o partido "resistiu muito bem a uma operação política que era uma espécie de todos contra o CDS, promovida pelo PS, que tentaram uma coligação com tanto partido tão diferente com o único objetivo de ultrapassar o CDS".

O PSD conquistou hoje a sua 11.ª maioria absoluta consecutiva na Madeira, as primeiras sem Alberto João Jardim, liderado por Miguel Albuquerque (44,33%) e 24 dos 47 deputados eleitos, menos um do que nas últimas eleições.

O CDS-PP alcançou 13,69% dos votos, elegendo sete deputados, menos dois do que tinha conseguido em 2011, quando teve 17,63%. A coligação "Mudança" (PS-PTP-PAN-MPT) registou hoje 11,41%, elegendo seis deputados, o mesmo número de eleitos conseguido pelo PS sozinho em 2011 (11,50%).