Passos recusa detalhar quanto dinheiro usou

Fonte da maioria garante que o primeiro-ministro não tem cópias das faturas que entregou para ser reembolsado. O primeiro-ministro diz que não recebeu salário do CPPC. Gastou em viagens. Mas não diz quantas, nem como, nem para quê.

O primeiro-ministro diz que não recebeu salário da CPPC, a organização não-governamental ligada à Tecnoforma que fundou em 1996 e com quem colaborou até 1999, enquanto era deputado.

O advogado da Tecnoforma, por sua vez, não quis adiantar quanto é que a empresa dava, mensalmente, a título de mecenato, àquela organização não governamental (ONG).

A PGR, questionada pelo DN, não esclarece por que motivo é que, estando os crimes prescritos, o DCIAP ainda pediu informações à Tecnoforma, dando os primeiros passos numa investigação que seria arquivada - uma vez que os eventuais crimes em causa (fraude fiscal e recebimento indevido de vantagem) estão prescritos, estando o MP obrigado a fechar o caso.

Leia mais pormenores no e-paper do DN

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG