Passos recusa "confundir" cortes com reforma do Estado

Líder do PS afirmou que primeiro-ministro pode contar com os socialistas para debater reforma do Estado se retirar do memorando os cortes anunciados para este mês. Passos diz que Seguro tem "vida facilitada".

António José Seguro iniciou o debate sobre o Conselho Europeu da próxima semana, esta manhã no Parlamento, com um desafio ao primeiro-ministro que vinha do debate quinzenal, que tinha terminado momentos antes. "Quer mesmo o PS no debate sobre a reforma do Estado", questionou o secretário-geral socialista, para repetir a pergunta a Passos Coelho.

O próprio Seguro deu a resposta. "Retire de imediato a proposta de cortes de quatro mil milhões de euros", incluído pelo Governo na quinta avaliação do memorando da 'troika', afirmou o líder do PS, para acrescentar que no dia seguinte se sentaria à mesa com a maioria governamental a debater a reforma do Estado.

Passos Coelho respondeu, já a encerrar o debate, que o líder socialista tem "a vida facilitada": "Não entendo que haja qualquer necessidade do PS confundir o corte dos quatro mil milhões de euros", afirmou, lançando um violento ataque ao líder socialista sobre uma intenção em "enganar" os portugueses.

"Se a sua posição está paralisada pela meta dos quatro mil milhões de euros, o senhor deputado tem a sua vida facilitada", afirmou. "O objetivo de encontrar poupanças de quatro mil milhões de euros não resume a reforma do Estado", criticou o primeiro-ministro.

Na introdução do debate, Passos Coelho informou o plenário da Assembleia da República que os governos ainda não receberam a nova proposta de orçamento europeu, depois de no final do ano passado uma primeira versão ter sido chumbada.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG