Passos diz que emissão de dívida foi bastante bem sucedida

O primeiro-ministro classificou hoje a colocação de dívida portuguesa como um bom começo de ano para o regresso ao mercado, salientando que foi conseguida uma taxa de juro inferior à última emissão comparável.

O regresso a mercado não se faz com uma única emissão e terá de ser um processo progressivo, mas começámos bem, o que é importante. Foi uma emissão bastante bem sucedida, como já anteontem o tinha sido a emissão realizada pela Irlanda e conseguimos uma taxa de juro inferior à da última emissão comparável", comentou.

Passos Coelho defendeu que "Portugal deverá agora continuar a aproveitar as oportunidades para provar que consegue fechar o seu programa de assistência económica e financeira com o regresso a mercado e fazê-lo de modo cumpridor".

O primeiro-ministro salientou também que o "sucesso" da emissão de dívida se deve ao trabalho realizado na sua preparação: "Tínhamos preparado uma emissão para poder, no início deste ano, reconstruir o nosso acesso a mercado. Não é um caminho que se tenha iniciado agora. Houve um trabalho ao longo do último ano e meio que nos permitiu chegar aqui".

A Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública - IGCP anunciou que foram colocados 3,25 mil milhões de euros para a linha de Obrigações do Tesouro que vence em junho de 2019, numa operação liderada pelo sindicato bancário composto pelo Barclays, Caixa BI, Goldman Sachs, HSBC, Morgan Stanley e Société Generale.

O negócio fez-se com uma taxa de 330 pontos base acima da taxa base do mercado para a dívida a cinco anos.

O IGCP não adiantou, no entanto, o valor da procura pela operação, que segundo fontes envolvidas na operação disseram à Lusa terá chegado aos 11 mil milhões de euros.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG