Passos Coelho recebido com vaia em Gouveia

O primeiro ministro foi hoje recebido por manifestantes na Feira do Queijo de Gouveia.

À espera de Pedro Passos Coelho estavam trabalhadores da Citroen de Mangualde, um movimento de luta contra as portagens e professores.

Passos Coelho não se furtou ao diálogo após ter sido interpelado por uma mulher que o alertou para o facto de "haver pessoas a passar dificuldades e fome".

O primeiro ministro tentou dialogar com os manifestantes mas o coro de protestos impossibilitou a intenção.

Passos Coelho, rodeado de segurança, percorreu toda a linha de manifestantes e disse ao DN que "é preciso ouvir o povo". "Não é preciso coragem. É preciso saber explicar as medidas que estamos a levar a cabo para o povo compreender que os sacrifícios têm uma razão de ser."

O gabinete do PM desvalorizou o carácter espontâneo dos protestos, colocando-os à conta da capacidade de mobilização da CGTP e do PCP.

Passos Coelho visitou depois a Feira de Artesanato em Gouveia, indo a seguir para a Guarda, para uma reunião com militantes do PSD.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG