Passos Coelho não explica se as declarações de IRS tinham erro

Contribuições para Segurança Social constavam dos impressos do IRS. Mas primeiro-ministro recusou esclarecer como os preencheu. E não diz se teve processos de execução fiscal.

O gabinete de Pedro Passos Coelho recusou esclarecer se o primeiro-ministro preencheu corretamente as suas declarações de IRS que dizem respeito ao período em que não pagou as contribuições à Segurança Social de 1999 a 2004, depois de questionado pelo DN. E se foi alvo de processos de contraordenação e de execução fiscal, de 2002 a 2007, por incumprimento das suas obrigações fiscais. O e-mail enviado às 9.47 da manhã ficou sem resposta, os contactos por telefone e SMS também.

O primeiro-ministro tinha admitido na segunda-feira, perante os deputados do PSD, que vinham aí mais perguntas e mais problemas na relação com o fisco do "cidadão Pedro Passos Coelho". "Quem quiser remexer a minha vida para encontrar episódios desses não precisa de se dar a tanto trabalho, nem quebrar deveres de sigilo. Pode ter a certeza de que muitas vezes me atrasei ou só entreguei na altura que o Estado me exigiu aquilo que me era exigível", afirmou no Porto o chefe do executivo.

Leia mais na edição impressa ou no e-paper do DN

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG