Passos Coelho diz que muitos cortes são transitórios

O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, afirmou hoje que muitos dos cortes realizados pelo Governo serão "transitórios" na medida da recuperação da economia, mas avisou que não regressarão "os níveis de riqueza ilusória".

"Não enfrentaremos o futuro pensando que todos os cortes que tivemos de fazer permanecerão. Muitos deles são transitórios, na medida em que dependerão agora da forma como a nossa economia vier a recuperar. Mas não temos condições nesta altura para fixar uma data precisa no nosso calendário para repor seja pensões, seja salários", afirmou Pedro Passos Coelho.

O presidente do PSD, reeleito no sábado para um terceiro mandato em eleições diretas sem adversário, respondia a perguntas dos jornalistas na sede dos sociais-democratas, após o anúncio do resultado do escrutínio interno.

Questionado pelos jornalistas, Passos Coelho frisou: "O que nós sabemos é que não regressaremos àquilo que eram os níveis de riqueza ilusória que tivemos antes da crise em 2011".

O líder social-democrata e primeiro-ministro do Governo PSD/CDS-PP defendeu que "qualquer político que queira fazer campanha eleitoral prometendo regressar a níveis de rendimento anteriores não estará a fazer mais do que demagogia fácil".

"A nossa recuperação de rendimento dependerá da riqueza que conseguiremos criar", afirmou, manifestando expectativa numa "recuperação gradual", seja na área pública, seja na área privada.

Exclusivos