Passos ataca PS e associa-o à falta de ética nos negócios

O líder do PSD afirmou esta sexta-feira que "há muita gente na oposição" à espera de "regressar ao poder" nas próximas eleições "para que tudo volte ao que era dantes".

Num discurso em que associou o PS à existência de "privilégios e falta de ética" de quem "vivia entre a política e os negócios" e vice-versa, numa alusão clara ao recente escândalo do BES, Passos Coelho garantiu ser "melhor enfrentar as más notícias do que usar o dinheiro dos contribuintes".

"Havia muitos privilégios, para não falar da falta de ética, de muita gente que vivia entre a política e os negócios", declarou o líder social-democrata, adiantando: "Não têm de ser os contribuintes a pagar a falta de ética, de escrúpulos de quem não tinha a ambição de combater os poderes fáticos que existiram no passado."

Afirmando que no PS há quem acredite que "o regresso ao poder" permitirá voltar atrás no tempo, Passos Coelho admitiu existir no PSD quem pense nos mesmos termos e deixou um alerta: "Seja na oposição, seja no meu próprio partido, deixarei muito claro que continuarei a bater-me sempre para não pagar" os privilégios do setor público nem "os prejuízos privados" (noutra alusão ao BES).

"Há muita gente na oposição que continua ligada a esse passado e que acredita que umas próximas eleições lhe permitem regressar ao poder, para que tudo volte ao que era dantes. Desiludam-se. Não acontecerá porque os portugueses não vão deixar", insistiu Passos Coelho.

Exclusivos