Partido Os Verdes considera fundamental intervenção

O Partido Ecologista Os Verdes reconheceu esta quarta-feiira o esforço da Câmara de Alpiarça para mitigar o problema de eutrofização da água na Barragem dos Patudos, que tem originado a morte de peixes.

Manuela Cunha, da direção dos Verdes, reuniu-se com o presidente da Câmara Municipal de Alpiarça, Mário Pereira (CDU), na sequência da denúncia feita na segunda-feira pelo vereador socialista Pedro Gaspar do agravamento da situação com "ameaça para a saúde pública".

A dirigente dos Verdes lamentou que os anteriores executivos municipais (PS) "não tenham pegado o touro pelos cornos", considerando que o problema foi assumido pela gestão CDU, havendo um esforço para encontrar uma solução.

Sublinhando que o município adotou as medidas sugeridas por especialistas depois de uma reunião realizada há um ano -- colocação de um repuxo para oxigenação da água e renovação da água a partir de um furo -, Manuela Cunha afirmou que elas não foram suficientes e que há a consciência de que o problema "não se resolve de um dia para o outro".

Manuela Cunha adiantou que o município contactou a Agência Portuguesa do Ambiente assim que tomou conhecimento da recente mortandade de peixes, tendo sido feita uma recolha de água para análise "ainda antes da denúncia" do vereador.

Segundo a dirigente de Os Verdes, o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) recomendou algumas alterações ao regulamento de pesca na albufeira, nomeadamente no sentido da redução do engodo, que pode estar na origem do excesso de matéria orgânica.

Contudo, afirmou que, além da pesca, têm sido identificadas outras possíveis fontes poluidoras, como uma vala que passa por campos agrícolas e uma pecuária e um canal de águas pluviais que poderá canalizar para a barragem efluentes rejeitados por uma estação de tratamento da Águas do Ribatejo.

Manuela Cunha sublinhou que o problema da eutrofização da água da barragem só se resolverá com uma "intervenção de fundo" que passe por uma limpeza global da barragem, o que a autarquia só poderá fazer se tiver acesso a fundos comunitários, estando "a trabalhar nesse sentido".

"Este é um passivo acumulado durante anos. Este executivo tem atuado devidamente, pedindo aconselhamento a especialistas e aplicando as medidas que lhe são indicadas", afirmou, adiantando que nada indicia a existência de um problema para a saúde pública.

Na reunião com Mário Pereira, a delegação dos Verdes abordou ainda a questão da poluição da Vala Real de Alpiarça.

Manuela Cunha disse à Lusa que Os Verdes apresentarão um novo requerimento ao Ministério do Ambiente no sentido de saberem que medidas foram tomadas junto da fábrica de reciclagem de papel da Chamusca que poderá ter estado na origem de uma descarga poluente que originou a morte de peixes naquele curso de água.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG