Para Passos a crise não é só a questão da austeridade

O primeiro ministro considerou hoje "muito redutor limitar o dilema actual" da crise portuguesa "à austeridade ou à ausência de austeridade".

"Para países como Portugal, a escolha a fazer é entre o cumprimento dos nossos compromissos ou o seu incumprimento. Todas as considerações devem partir deste ponto, incluindo as consequências de uma ou outra opção", declarou Pedro Passos Coelho na abertura da III Edição das Conferências do Estoril.

O chefe de Governo disse ainda que "muito se decide sobre o futuro da Europa e sobre a sua coesão" com os resultados do processo de ajustamento em curso em Portugal, Grécia, Irlanda e Chipre.

"A credibilidade que já alcançámos com o esforço de todos os portugueses coloca-nos numa posição privilegiada para mediar e conciliar as diferentes visões para a Europa que são propostas" para ultrapassar a actual crise, referiu ainda Passos Coelho.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG