Palavras de Passos sobre desemprego foi 'mau de mais'

O secretário-geral do PS disse hoje que a afirmação do primeiro-ministro sobre o desemprego ser uma oportunidade "foi mau demais" e que os portugueses estão "chocados", acusando-o de "insensibilidade social" e de estar "ausente da realidade".

À margem da conferência do Laboratório de Ideias e Propostas para Portugal (LIPP), subordinado ao tema "Democracia e Participação Política", António José Seguro foi questionado sobre as declarações de sexta-feira do primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, hoje reiteradas, de que o desemprego pode ser uma oportunidade.

"Foi mau demais e eu penso que os portugueses estão todos chocados com estas declarações do primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho. Isto é próprio de um primeiro-ministro que está ausente da realidade e que não sente o sofrimento e o drama dos milhares de portugueses que neste momento não têm um emprego", condenou.

O secretário-geral do PS afirmou ainda que o desemprego "é um drama social e aquilo que os portugueses esperam do Governo é que tenha políticas e propostas para responder a este drama e a este flagelo".

"Quem fez as declarações foi o primeiro-ministro. Ele é o responsável por aquilo que disse e o que disse chocou os portugueses. Eu já tive oportunidade de ouvir muitas pessoas que na rua me cumprimentaram e se me dirigiram estavam profundamente chocadas e indignadas com estas declarações do primeiro-ministro", respondeu aos jornalistas.

Na opinião de Seguro, "o que é exigido" a Pedro Passos Coelho "é que acabe com este drama e nesse sentido as palavras do senhor primeiro-ministro são palavras que chocam os portugueses".

O primeiro-ministro afirmou hoje que "mantém" as afirmações sobre o desemprego poder ser uma oportunidade e acrescentou que Portugal "está cansado das crises artificiais" que querem "aproveitar qualquer coisa" para tentar criar "uma tensão enorme no país".

"Acho que o país está um bocadinho cansado das crises artificiais e desta tentativa de distorcer e de aproveitar qualquer coisa para querer fazer uma tensão enorme no país. Sei bem o que disse e mantenho o que disse", afirmou Pedro Passos Coelho, em declarações aos jornalistas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG