"Os Verdes" querem ouvir Governo sobre futuro da OML

O Partido Ecologista "Os Verdes" quer ouvir o secretário de Estado da Cultura sobre o futuro da Associação Música, Educação e Cultura (AMEC) que tutela a Orquestra Metropolitana de Lisboa, foi hoje divulgado em comunicado.

A deputada Heloísa Apolónia, do grupo parlamentar "Os Verdes", entregou na Assembleia da República uma pergunta em que questiona o Governo, através de Jorge Barreto Xavier, titular da pasta da Cultura, "sobre o futuro da AMEC e da Orquestra Metropolitana de Lisboa", nomeadamente quais os resultados de um estudo encomendado ao Instituto Universitário de Lisboa (ISCTE), em março passado.

Os fundadores da AMEC, entre eles, a secretaria de Estado da Cultura e a Câmara de Lisboa, deviam tomar uma decisão "em meados de 2012" após os resultados do estudo sobre a viabilidade da AMEC e da respetiva orquestra, recorda a deputada no requerimento entregue na passada sexta-feira.

O mês de julho foi o apontado na ocasião para estarem "finalmente reunidas todas as condições para que a Metropolitana possa continuar a sua tão meritória atividade de forma sustentada, digna e alicerçada em perspetivas realistas, contando sempre com todo o empenho e vigilância por parte da secretaria de Estado da Cultura para que tal cenário se concretize", afirmam Os Verdes citando declarações em março passado da secretaria de Estado da Cultura, cargo então ocupado por Francisco José Viegas.

"Estamos a iniciar o mês de novembro de 2012 e não foram prestadas nenhumas informações, nem gerais nem detalhadas, sobre a recuperação da AMEC", escrevem Os Verdes que querem saber se a secretaria de Estado pode enviar o estudo aquele grupo parlamentar.

"Quando foi finalizado esse estudo" e "que deliberação tomaram os Fundadores sobre o futuro e a recuperação da AMEC e da Orquestra Metropolitana de Lisboa", questionam os deputados ecologistas.

"Quando foi tomada essa deliberação", interrogam Os Verdes que querem ainda saber qual a "situação dos trabalhadores da AMEC, em geral, e da Metropolitana, em particular".

Já em março os ecologistas tinham questionado o Executivo sobre a situação laboral na AMEC, tendo interrogado se, da parte da direção, houve "algum tipo de ilegalidade".

Os deputados que integram a CDU queriam ainda saber qual era "exatamente o montante do défice com que se confronta neste momento a AMEC [e] quem são os principais credores" da associação.

A AMEC, fundada há 20 anos, tem cerca de 162 trabalhadores, 36 dos quais músicos, segundo dados da direção. Além da Orquestra Metropolitana de Lisboa, a AMEC integra a Academia Nacional Superior de Orquestra, um Conservatório de Música e uma Escola Profissional.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG