OCDE acabou com credibilidade do Governo

"Não percebemos como pode o Governo prever para o ano um crescimento de 0,8 por cento, quando sabemos que todas as projeções internacionais dão um máximo de 0,4 por cento (o da OCDE). Só este Governo e a 'troika' conseguem ver um crescimento de 0,8 por cento para o próximo ano", afirma o vice-presidente do Grupo Parlamentar do PS.

O PS considerou hoje que as previsões divulgadas pela OCDE confirmam que a contração do consumo em 2014 afetará inevitavelmente a economia, estando Governo e 'troika' isolados na estimativa de um crescimento de 0,8 por cento.

A posição dos socialistas foi transmitida pelo vice-presidente da bancada António Gameiro, depois de a OCDE ter avançado com a previsão de que a economia portuguesa recuará 1,7 por cento este ano e regressará ao crescimento em 2014.

Porém, a OCDE aponta para um crescimento de apenas 0,4 por cento, metade do previsto pelo Governo e pela 'troika' (Banco Central Europeu, Fundo Monetário Internacional e Comissão Europeia).

"O PS encara com grande preocupação o relatório da OCDE, assim como a nota divulgada pelo banco Montepio Geral. A OCDE prevê uma contração da economia este ano - e o PS sempre alertou para esse aspeto", sustentou o dirigente socialista.

Segundo António Gameiro, tanto o Orçamento para 2013, como o Orçamento para 2014, geram "uma contração do consumo privado, porque se está a retirar capacidade económica às famílias".

Nessas circunstâncias, adiantou o deputado socialista, "as famílias terão de ter menos posses, consumirão menos, sentindo-se mais pobres e menos confiantes".

"Não percebemos como pode o Governo prever para o ano um crescimento de 0,8 por cento, quando sabemos que todas as projeções internacionais dão um máximo de 0,4 por cento (o da OCDE). Só este Governo e a 'troika' conseguem ver um crescimento de 0,8 por cento para o próximo ano", acrescentou o vice-presidente do Grupo Parlamentar do PS.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG