"O primeiro-ministro tem usado e abusado da impunidade que o Presidente lhe ofereceu"

António Costa aguarda por "respostas" do primeiro-ministro para tirar "conclusões" mas tem uma certeza: Cavaco oferece "impunidade" a Passos.

Falando a propósito das dívidas de Passos à Segurança Social - que entretanto também alastraram para um caso de execuções fiscais -, Costa advogou que o PS a ter "um comportamento correto" para o seu partido: "Aguardamos respostas. Depois tiraremos conclusões." Sobre estas "conclusões", não excluiu nenhum cenário, nomeadamente o de avançar na AR com uma moção de censura.

À "tabela" dos casos que atingem o primeiro-ministro, o líder socialista disparou também sobre o Presidente da República: "O primeiro-ministro tem usado e abusado da impunidade que o Presidente da República lhe ofereceu."

Recordou, quanto às perguntas ao PM, que o PS já lhe deu uma "segunda oportunidade": primeiro tentou que as perguntas fossem assumidas pela comissão parlamentar de Segurança Social, no seu todo. Depois, perante a recusa da maioria PSD/CDS, enviou diretamente as perguntas a Passos, através da bancada socialista (o PCP e o BE já tinham feito o mesmo).

Costa aproveitou também para denunciar como "uma ameaça" a denúncia feita por responsáveis sindicais da área do fisco segundo a qual há na Autoridade Tributária uma "lista VIP" cuja consulta por funcionários imediatamente desencadeará alertas junto do diretor-geral. Ora isto, a confirmar-se, "limita os deveres" de escrutínio por parte dos funcionários.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG