"Não vejo drama numa aliança entre PS e CDS"

O ex-ministro das Finanças e da Segurança Social não vê drama numa aliança entre o PS e o CDS: "É uma aliança onde do ponto de vista doutrinário e ideológico é mais nítida a sua diferença e, assim sendo, a dialética da coligação pode ser mais positiva."

Para Bagão Félix, a próxima chegada da troika vai redefinir o papel do vice-primeiro-ministro Paulo Portas: "Não sei qual é a delegação de poderes que o primeiro-ministro dará ao vice mas, pelo que até agora pudemos assistir, evidentemente será Paulo Portas o protagonista dessa diferente maneira de encarar a relação com a troika." Para o economista, o futuro exige o "aumento de uma austeridade inteligente e exemplar em vez de nova carga [fiscal] muito pesada sobre os portugueses".

Acrescenta: "Penso que Paulo Portas tem sensibilidade social e um compromisso político, e que ele é que estará a protagonizar essa situação, com a ajuda da ministra das Finanças."

Para Bagão Félix, a prioridade é o novo Orçamento de Estado. Que não deverá possibilitar novas penalizações do Tribunal Constituciaonal nem desafiar o próprio presidente da República.

Leia a entrevista completa na edição em papel e e-paper do DN.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG