"Não me senti ameaçado" na Covilhã

O ministro da Economia, Álvaro Santos Pereira, disse hoje, durante a visita à Feira Internacional do Artesanato, na FIL em Lisboa, que não se sentiu ameaçado na Covilhã, onde na sexta-feira foi vaiado e barrado por manifestantes, e diz que não antevê comportamentos semelhantes daqui para a frente.

"Todos os protestos são legítimos. Temos em curso um processo de reestruturação grande e há uma grande incerteza" e por isso é normal que haja manifestações, mas "não me senti ameaçado [na Covilhã]. Sempre manifestei a intenção de falar com as pessoas", disse.

Questionado sobre a sua ausência na assembleia-geral da Metro do Porto, que deveria ter decorrido ontem para eleger uma nova administração e sobre as consequentes declarações de Rui Rio de que há elementos do Governo que o querem afastar, Álvaro optou por não fazer quaisquer comentários às palavras do presidente da Junta Metropolitana do Porto mas explicou, ainda que de forma pouco clara, porque é que o Governo não foi à assembleia-geral da Metro do Porto.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG