Moedas acusa Medina de não ouvir munícipes de Lisboa e propõe assembleia de cidadãos

Dando alguns exemplos de obras na cidade que considera que não tiveram a participação dos munícipes, Moedas destacou iniciativas como "o projeto das Torres do Restelo" e a ciclovia da Avenida Almirante Reis, que tem sido alvo de sucessivas críticas.

O líder da coligação Novos Tempos à Câmara de Lisboa, Carlos Moedas (PSD), acusou esta quinta-feira o presidente da autarquia, Fernando Medina (PS), de não ouvir os munícipes e destacou que vai criar uma assembleia de cidadãos.

Carlos Moedas falava no jardim da Estrela, onde PSD, CDS-PP, PPM, MPT e Aliança assinaram o acordo de coligação à Câmara de Lisboa, numa iniciativa que contou com a presença dos líderes dos cinco partidos.

"Como engenheiro, aquilo que olho para esta cidade penso, aquilo que falta a Fernando Medina, aquilo que falta a esta câmara municipal é sem dúvida a visão, que não tem, a execução, que também não tem, e a participação das pessoas que nunca teve", defendeu o cabeça de lista da coligação que junta PSD, CDS-PP, PPM, MPT e Aliança à Câmara de Lisboa.

Dando alguns exemplos de obras na cidade que considera que não tiveram a participação dos munícipes, Moedas destacou iniciativas como "o projeto das Torres do Restelo" e a ciclovia da Avenida Almirante Reis, que tem sido alvo de sucessivas críticas.

"Alguém ouviu as pessoas que todas as manhãs se levantam na Almirante Reis e que vêm à rua completamente bloqueada com uma ciclovia que cria poluição? As ciclovias não são para a poluição, são para retirar a poluição, são para descarbonizar a cidade", considerou.

Por isso, com o objetivo de ouvir os cidadãos, realçou que se propõe a "fazer algo de muito diferente".

"Algo com risco, mas com coração e paixão como sempre tive. Quero criar uma assembleia de cidadãos para Lisboa, uma assembleia que seja diferente, que não vai substituir o que temos, mas que vai complementar, com pessoas diferentes", explicou.

Na corrida à presidência da autarquia lisboeta, atualmente presidida por Fernando Medina (PS), estão, além de Carlos Moedas, João Ferreira (CDU), Beatriz Gomes Dias (BE), Bruno Horta Soares (IL), Tiago Matos Gomes (Volt) e Nuno Graciano (Chega).

O executivo da Câmara de Lisboa é atualmente composto por oito eleitos pelo PS (no qual se incluem os Cidadãos por Lisboa), um do BE (que tem um acordo de governação do concelho com os socialistas), quatro do CDS-PP, dois do PSD e dois do PCP.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG