Moção de censura "não existe", pelo menos "até domingo"

"Não está em cima da mesa" uma eventual moção de censura do PS à maioria de direita, assegurou Francisco Assis. Candidato espera essa "moção de censura" nas eleições. Depois de domingo, "tudo pode acontecer".

Uma eventual moção de censura pelo PS à maioria de direita "não está em cima da mesa, não foi tomada nenhuma decisão, não existe", afirmou esta quarta-feira à tarde o cabeça de lista socialista, Francisco Assis. Pelo menos "até domingo".

Depois dos votos falarem, o caso será diferente. "Os resultados terão leituras", avisou o também secretário nacional do PS, "mas só se devem fazer a partir de domingo à noite".

Interpelado pelos jornalistas, no Instituto Empresarial do Minho, uma incubadora de empresas situada em Vila Verde (Braga), Francisco Assis recusou que a ideia da moção de censura - que fontes do PS admitiram estar na cabeça dos socialistas para depois das eleições, segundo o jornal Observador - esteja a ser incubada entre os socialistas. "É uma questão que não está na nossa agenda, nem deve estar até ao próximo domingo", começou por afirmar.

Depois apostou tudo noutra moção de censura, a dos votos de dia 25. "No domingo espero que haja uma grande moção de censura dos portugueses" à política do Governo. Assis retomou ainda a intervenção do secretário-geral do PS, ao almoço em Fafe (ver texto relacionado), para defender que os socialistas querem "dizer não ao Governo" e que estão "empenhados em que digam sim" à "alternativa" do PS.

Perante nova insistência dos jornalistas, o candidato voltou a sublinhar que, agora, "compete aos portugueses emitir uma opinião através do voto". "Depois de domingo, é quase o infinito, tanta coisa pode acontecer."

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG