Moção da atual liderança do BE elege 68,4% dos delegados à Convenção Nacional

A Moção A - "Sair da Crise, Lutar contra a Desigualdade", - subscrita, para além de Catarina Martins, pelo líder parlamentar, Pedro Filipe Soares, e pela eurodeputada e ex-candidata presidencial, Marisa Matias, entre outros dirigentes -- conseguiu eleger 232 dos 339 delegados totais.

Os apoiantes do BE elegeram entre sexta-feira e este domingo os 339 delegados à XII Convenção Nacional do partido, reduzidos a metade devido à pandemia, tendo a moção da atual liderança de Catarina Martins conseguido 232 (68,4%).

Os dados sobre a eleição dos delegados à XII Convenção Nacional do Bloco de Esquerda, que decorre no próximo fim de semana, 22 e 23 de maio, em Matosinhos, distrito do Porto, foram hoje divulgados por fonte oficial do partido à agência Lusa.

A Moção A - "Sair da Crise, Lutar contra a Desigualdade", - subscrita, para além de Catarina Martins, pelo líder parlamentar, Pedro Filipe Soares, e pela eurodeputada e ex-candidata presidencial, Marisa Matias, entre outros dirigentes -- conseguiu eleger 232 dos 339 delegados totais.

A moção Moção E - "Enfrentar o Empobrecimento, Polarizar à Esquerda", crítica da direção e promovida pelo movimento Convergência, terá na reunião magna do partido 63 delegados, ou seja 18,6%.

A Plataforma Madeira 2 conseguiu eleger 12 degelados, a Moção Q - "Quebrar Correntes, Lutar Pelo Socialismo" nove delegados, a Moção C - "Mais Democracia, Mais Organização" oito delegados, a plataforma Mudar de Vida (Faro) seis delegados, a Moção N - "Por Uma Revolução Tranquila" cinco delegados, a Plataforma Madeira 1 dois delegados e, com um delegado cada um, ficaram a Plataforma Interior (Portalegre) e a Plataforma 3R (Coimbra).

A 6 de março foi decidido pela Mesa Nacional do BE que a reunião magna do partido, que já tinha sido adiada o ano passado devido à pandemia, se manteria agendada para o próximo fim de semana, mas foi determinado reduzir para metade os delegados, com a garantia de assegurar a proporcionalidade e a representatividade.

Segundo Catarina Martins, a Mesa Nacional decidiu "alterar o modelo da convenção, que sendo presencial, mantendo-se na data e no distrito no Porto, vai ter metade dos delegados" devido à pandemia.

Os apoiantes do partido que não são delegados ficam também impedidos de estar presencialmente na reunião magna, que será transmitida na íntegra.

Esta decisão foi contestada pelos subscritores da moção E que se manifestaram "frontalmente contra" esta redução para metade dos delegados à convenção, considerando ser um "tiro na democracia bloquista".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG