Ministro sem garantias de salvar Estaleiros de Viana

O ministro da Defesa assumiu esta quarta-feira, no Parlamento, desconhecer se vai conseguir salvar os Estaleiros Navais de Viana do Castelo (ENVC).

"Não sei se consigo salvar os ENVC. Mas estou a tentar", garantiu José Pedro Aguiar-Branco, depois de criticar duramente o anterior Governo por ter deixado arrastar uma solução para uma empresa que manteve "à custa da engorda do passivo".

O passivo dos ENVC era da ordem dos 200 milhões de euros em 2010, somatório de défices sucessivos ao longo dos últimos anos, conforme lembrou o deputado socialista Jorge Fão.

"O País não tem [sequer] condições para poder assegurar a construção dos navios militares" destinados à Marinha portuguesa, envolvendo navios de patrulha oceânica (NPO) e lanchas de fiscalização costeira (LFC), já para não falar do navio polivalente logístico (NPL, a fabricar no âmbito das contrapartidas pela compra dos submarinos).

Aguiar-Branco escusou-se a falar sobre quaisquer possibilidades que estejam a ser negociadas para garantir o futuro dos ENVC, explicando querer evitar o erro do Governo anterior de fazer promessas que depois, "no terreno", não se concretizavam.

Questionado pelo DN sobre o porquê de ter fracassado o projecto de parceria especial que esteve quase concluído entre os ENVC e os estaleiros holandeses da Damen, o ministro optou por dar uma resposta lateral, repetindo não querer fazer anúncios sem bases para se concretizarem.

Um exemplo foi o dos NPO, que o deputado João Soares (PS) citou como sendo um projecto que tem suscitado o interesse de vários países - o ministro confirmou, acrescentando que até agora não houve um Estado a concretizar esse interesse.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG