Ministra garante 500 novos polícias por ano e aposentação sem cortes

O otimismo marcou a primeira reunião com os sindicatos da PSP na segunda ronda de negociações. Anabela Rodrigues recuou nas suas polémicas propostas.

Tranquila e sorriso no rosto. Foi assim que a ministra da Administração Interna recebeu ontem o maior sindicato da PSP, para a segunda ronda de negociações sobre o polémico estatuto. "Quero dizer que a minha intenção é ir ao encontro das vossas expetativas", terá declarado Anabela Rodrigues logo do início da reunião, de acordo com uma fonte que acompanhou os trabalhos.

Resultados? A promessa da admissão de 500 novos polícias por ano, a partir já de 2016, até 2019, para compensar e as saídas, o horário de trabalho manter-se nas 36 horas semanais e a cedência a uma das principais e mais difíceis reivindicações sindicais: a pré-aposentação aos 55 anos, sem cortes e sem necessidade, como agora, de autorização superior do diretor nacional da PSP, sempre moroso.

"Algo de impensável há uns meses e que contraria tudo o que tem sido a linha política dos Governos, nos últimos anos", reconhece o presidente da Associação Sindical de Profissionais de Polícia (ASPP), o primeiro sindicato a reunir-se com a ministra e o mais representativo desta força de segurança.

Leia mais na edição impressa ou no e-paper do DN

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG