Ministra da Administração Interna admite necessidade de alterar lei eleitoral

Francisca Van Dunem lembrou que a lei eleitoral é muito antiga e "responde a uma realidade que entretanto se transfigurou", pelo que na próxima legislatura a Assembleia da República deverá debater em que pontos da lei mexer.

A ministra da Administração Interna, Francisca Van Dunem, admitiu esta quarta-feira a necessidade de alterar a lei eleitoral, durante uma visita à operação de contagem dos votos dos eleitores no estrangeiro das eleições legislativas de 2022.

"Estou convencida de que vai ser preciso. É necessário mexer na lei eleitoral", disse a ministra aos jornalistas durante a visita à operação de contagem dos votos dos emigrantes, que está instalada em dois pavilhões da FIL em Lisboa, e após parar em várias mesas para falar com os membros e agradecer o seu trabalho.

Francisca Van Dunem lembrou que a lei eleitoral é muito antiga e "responde a uma realidade que entretanto se transfigurou", pelo que na próxima legislatura a Assembleia da República deverá debater em que pontos da lei mexer.

Para a ministra, a "grande ideia" de uma eventual alteração à lei eleitoral será "favorecer a máxima participação possível" num contexto em que há, por todo o mundo, "níveis de abstenção muito elevados".

"Felizmente não foi o que aconteceu connosco. Nós tivemos níveis de abstenção elevados, mas que são inferiores aos níveis que tínhamos antes, mas é importante que os cidadãos tenham todos condições para, residindo ou não em Portugal, participarem no processo eleitoral do país", afirmou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG