Militares concentram-se à porta do primeiro-ministro

Umas centenas de militares têm hoje prevista uma concentração à porta da residência oficial do primeiro-ministro, em protesto contra aquilo que consideram ser a cegueira e "autismo" das políticas de Passos Coelho.

"Esta forma cega, este autismo e desrespeito pelas leis em vigor não permitem encontrar as melhores soluções. Não somos contras as reestruturações, as racionalizações, as fusões necessárias, pelo contrário, mas com as pessoas e para as pessoas. Não pode ser feito contra as pessoas ou instituições", disse à Lusa o presidente da Associação Nacional de Sargentos (ANS), Lima Coelho.

A ANS, a Associação de Oficiais das Forças Armadas (AOFA) e Associação de Praças (AP) têm vindo a mostrar-se contrárias a diversas alterações já em curso ou por introduzir nos respetivos sistemas de saúde, de proteção social e de progressão nas carreiras.

Lima Coelho, comentando a mais recente intenção governamental de fundir as três instituições de educação militar, defendeu que as medidas do Executivo da coligação PSD/CDS-PP "não podem continuar a obedecer a princípios puramente economicistas, pois há que salvaguardar a qualidade dos serviços prestados".

"Se as respostas não surgirem e se agravar a situação, de acordo com o mandato que nos foi outorgado, iremos continuar a procurar caminhos e as formas mais adequadas de sensibilizar aqueles que têm por missão governar o país, ao abrigo da responsabilidade que os cidadãos portugueses lhes atribuíram. Isto não pode ser uma coisa ligeira", sustentou, reiterando que Portugal não deve "obedecer cegamente a ditames ou imposições vindas do exterior".

O ministro da Defesa Nacional, Aguiar Branco, anunciou há semanas que a reestruturação das Forças Armadas implicará reduções de custos em 218 milhões de euros a partir de 2014, incluindo perto de oito mil efetivos.

"Estamos a contar com a presença de umas centenas de camaradas nossos, mas atendendo ao facto de ser um final de um dia de semana, temos recebido inúmeras mensagens de solidariedade de outros que, estando de serviço por todo o país e até no estrangeiro, querem associar-se, apoiando e dando força", afirmou Lima Coelho.

A concentração está marcada para as 17:30, junto à residência oficial do PM, em São Bento.

De acordo com Lima Coelho, uma comitiva dos militares será recebida pelo gabinete do líder do Governo, entregando a resolução aprovada no encontro de membros das Forças Armadas de 06 de março, seguindo-se intervenções, no exterior, dirigidas aos restantes militares.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG