Miguel Relvas sobre os jovens: Vão para fora cá dentro

Miguel Relvas desafia autarquias a promoverem fixação de jovens, "uma das gerações mais bem preparadas de sempre". E faz elogio da reforma da administração local

O ministro Adjunto e dos Assuntos Parlamentares desafiou hoje de manhã as autarquias a promoverem a "fixação dos mais jovens", por poderem ter "um papel muito importante no aproveitamento das elevadas qualificações dos jovens portugueses", Miguel Relvas lançou este quase apelo a uma migração interna, depois da polémica suscitada por afirmações suas em que desafiava os jovens portugueses a emigrarem, na abertura da Conferência sobre "Poder Local num País em Mudança", organizada pela Ordem dos Técnicos Oficiais de Contas e TSF.

Para o ministro que tutela a reforma da administração local, um país "forte e coeso resulta da soma de todas as suas localidades", que se traduz na defesa da "fixação das populações ao território" e "exigem politicas focadas no emprego e na fixação dos mais jovens".

É aqui que Miguel Relvas desafia as autarquias a encontrarem "mecanismos para estimular o empreendedorismo de proximidade e encontrar oportunidades para os jovens na economia criativa e na economia social, na agricultura e no turismo cultural".

As autarquias, disse, "têm de encontrar novas fórmulas para redinamizar a atividade económica produtiva de base local e devem fazê-lo a pensar nas novas gerações".

Na sua intervenção, o ministro Adjunto e dos Assuntos Parlamentares fez a defesa da reforma da administração local, nomeadamente da reorganização do mapa autárquico, que vai a discussão no Parlamento já na quinta feira, incentivando "fortemente os partidos parlamentares" a contribuírem para aprovar uma nova lei eleitoral autárquica, apelo que dirigiu em especial ao PS, "para que se envolva com convicção nesta mudança".

Exclusivos