Marinho e Pinto vai abandonar Parlamento Europeu

O antigo bastonário da Ordem dos Advogados disse ao "Jornal de Notícias" que irá abandonar Bruxelas daqui a um ano, para se candidatar à Assembleia da República em 2015. E as presidenciais também estão no horizonte.

Marinho e Pinto foi eleito para um mandato de cinco anos no Parlamento Europeu, pelo Movimento Partigo da Terra (MPT), mas três meses depois das eleições europeias bastaram para se decidir sair de Bruxelas.

O antigo bastonário da Ordem dos Advogados justificou, ao "Jornal de Notícias", a sua decisão indicando que "os problemas nacionais são mais graves do que os europeus". Assim, acredita que faz mais falta na Assembleia da República, à qual pretende candidatar-se em 2015, "sem prejuízo das presidenciais" em 2016.

O eurodeputado recusou esclarecer se avançará pelo MPT ou por outro partido nessa eventual candidatura à Assembleia da República.

"Saio menos europeísta do que entro", disse Marinho e Pinto. "O elemento agregador da Europa não está nos ideais, nem nas políticas, mas no dinheiro", apontou. E o eurodeputado frisa que "Eu não acredito numa organização toda construída em torno desse dinheiro".

Marinho e Pinto foi eleito a 25 de maio, juntamente com José Inácio Faria, pelo MPT, e acredita que os 7% de portugueses que votaram nele não se sentirão defraudados, uma vez que "continua na luta", mudando somente a sua "trincheira", que desta vez será Portugal.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG