Marinho e Pinto entrega pedido de novo partido em outubro

Marinho e Pinto, em declarações ao DN, afirma que novo partido que pretende criar ainda não tem um nome mas que a proposta será entregue em outubro no Tribunal Constitucional (TC).

O ex-bastonário acusa John Baker Rosas, presidente do Movimento do Partido da Terra, de "mentir", já que assume que avisou o líder partidário da sua saída numa reunião no domingo.

O ex- líder dos advogados assume que no MPT não conseguiu prosseguir os objetivos políticos a que se propôs e que a sua "união de facto com este partido" durou apenas seis meses.

Assenta esta nova força política na "liberdade, solidariedade e justiça" e na defesa dos "mais idosos, crianças e deficientes". E acusa ainda o MPT de defender alguns interesses pessoais e familiares em detrimento dos interesses dos cidadãos.

No Parlamento, avança poder vir a situar-se entre um PS e PSD defendendo que não acredita em "geometria política".

Não revela se terá abertura a coligações com algum partido com assento parlamentar mas admite que é mais apologista de coligações pós do que pré eleitorais.

Desmente categoricamente que o líder do MPT não tenha sido avisado desta sua saída: "Infelizmente é totalmente mentira!. Saí a meio da reunião do passado domingo assumindo que iria sair do partido", defende-se. Para o advogado, as declarações de John Baker Rosas de que estaria estupefacto com esta saída, "só revelam que não havia mesmo condições para nos entenderemos", conclui.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG