"Marcelo está connosco, Soares é que não está com PS"

O cabeça de lista da coligação PSD/CDS, Paulo Rangel, diz estar "totalmente à vontade" com o discurso feito ontem por Marcelo Rebelo de Sousa, que disse que a razão "fundamental" para votar na "Aliança Portugal" era Jean-Claude Juncker

Paulo Rangel garante que não houve desconforto na comitiva devido à "abordagem europeia" que Marcelo Rebelo de Sousa deu ao seu discurso num jantar com apoiantes ontem em Coimbra. O cabeça de lista da coligação disse mesmo que as palavras do antigo líder não foram um balde de água fria, mas sim uma "sauna retemperadora", lembrando os "elogios" feitos por Marcelo a si e a Nuno Melo.

O cabeça de lista aproveitou até para voltar a atacar os socialistas com a alegada ausência do seu militante mais destacado. "Marcelo está connosco, Mário Soares é que não está com o PS", afirmou. Paulo Rangel confessou estar "totalmente à vontade" com o facto de Marcelo ter apontado a eleição de Juncker como principal motivo para o voto na Aliança Portugal. Até porque, considera "importante essa pedagogia europeia" e que a eleição de Jean-Claude Juncker como futuro presidente da Comissão Europeia é mesmo "uma das razões fundamentais".

Rangel assumiu que ficou surpreendido, não pelo teor do discurso, mas porque Marcelo Rebelo de Sousa "consegue sempre surpreender". Também Nuno Melo mostrou-se satisfeito com o discurso de Marcelo Rebelo de Sousa e revelou que não se sentiu incomodado por este ter feito referência ao ex-líder centrista Diogo Freitas do Amaral.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG