Marcelo diz que Poiares Maduro "anda a apanhar bonés"

Professor arrasou secretário de Estado que realizou encontro com jornalistas e diz que Durão Barroso precipitou-se com entrevista

Marcelo Rebelo de Sousa arrasou, esta noite no habitual comentário na TVI, o secretário de Estado José Leite Martins, que promoveu um encontro com jornalistas, adiantando-lhes alguns pormenores sobre futuros cortes nas pensões. Para o comentador, o caso foi grave porque, por um lado, "nãos e brinca com a questão das pensões" e, por outro, revela existir "descoordenação política no governo", que deveria ser assegurada pelo ministro Miguel Poiares Maduro. "Que anda a apanhar bonés", disse Marcelo.

A crítica do comentador não passou só pela forma como José Leite Martins decidiu difundir as notícias, mas também pelo tempo: é que, recordou Marcelo, naquele dia os juros da dívida estavam abaixo dos 4%, algo saleintado na imprensa internacional, "e um secretário de Estado resolveu falar sobre cortes nas pensões".

E José Leite Martins tem condições para continuar em funções? "Todos têm", ironizou Marcelo, até o ministro Marques Guedes, que veio a público dizer que "declarações de uma fonte das Finanças" não vinculam o governo. "Então, vincula quem? O contínuo?", perguntou o comentador da TVI. No fim de contas, continuou, este episódio só "ajuda António José Seguro a conseguir uma vantagem de 8 a 9% nas próximas eleições europeias".

Marcelo rebelo de Sousa afirmou aidna estranhar a entrevista de Durão Barroso ao semanário Expresso, considerando-a "precipitada", já que, na sua opinião, o atual presidente da Comissão Europeia é um dos presidenciáveis à direita. Barroso, recorde-se, defendeu que o próximo Presidente deveria ser apoiado por PSD, PS e CDS, mas Marcelo não admite este cenário: "Depois de 10 anos de um Presidente de direita [Cavaco Silva], o PS vai apoiar uma figura desta área? O PS vai ser implacável com as Presidenciais", setenciou Marcelo Rebelo de Sousa.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG