Marcelo diz que "as pessoas já não levam a sério" Passos

Marcelo Rebelo de Sousa comentou na TVI os resultados das sondagens - que já colocam as intenções de voto no PS acima das do PSD e do CDS juntos - com naturalidade: "Depois disto - disse, referindo-se à última crise política do governo motivada pela discussão dos cortes nas pensões - a única coisa que me surpreende é esta: O PS já devia ter maioria absoluta há muito tempo".

O ex-líder do PSD considerou que "as pessoas já não levam a sério" o primeiro-ministro, que "paga a fatura política, até pelas medidas que não chega a tomar". Sobre as do corte nas pensões - que tudo indica, disse, passará "por um corte definitivo, de 10%, nos pensionistas da Caixa Geral de Aposentações" em vez de um corte extraordinário a todos os pensionistas - Marcelo defendeu que "ninguém sai a ganhar" em termos de imagem pública: "Nem o CDS [PauloPortas disse que a "TSU dos pensionistas não passaria], nem o PSD nem a troika".