Marcelo afasta-se da corrida presidencial

Comentador sentiu-se visado pela negativa com o perfil traçado pelo líder do PSD para o candidato a apoiar em 2016

Marcelo Rebelo de Sousa declarou hoje estar indisponível para ser candidato à Presidência da República, em 2016. A declaração do professor de Direito surgiu no seu espaço de comentário da TVI e como uma resposta à moção que Pedro Passos Coelho leva ao 35º congresso do PSD. "A questão está resolvida quando o líder do maior partido diz que a candidatura é indesejada", disse Marcelo Rebelo de Sousa.

Tal como o DN avançou, o perfil traçado por Pedro Passos Coelho para o candidato presidencial a ser apoiado pelo partido enumerava um conjunto de "defeitos" políticos que o líder do PSD rejeita. A saber, para Passos, o futuro Presidente não pode ser um "protagonista catalisador de qualquer conjunto de contrapoderes ou num catavento de opiniões erráticas em função da mera mediatização gerada em torno do fenómeno político". Nem "deve buscar a popularidade fácil". "O Presidente deve comportar-se mais como um árbitro ou moderador, movendo-se no respeito pelo papel dos partidos mas acima do plano dos partidos." Sendo supra partidário, segundo Passos Coelho, "também não pode colocar-se contra os partidos ou os governos como se fosse apenas mais um protagonista político na disputa política geral".

Várias fontes ligadas ao líder do PSD confirmaram que aquele perfil apontava para a rejeição da candidatura de Marcelo Rebelo de Sousa. Esta noite, o comentador da TVI disse que o principal problema do líder do PSd tinha a ver com um candidato que fosse mediático e popular. "Ele quis excluir Marcelo Rebelo de Sousa", admitiu.

Ainda assim, o comentador afirmou que, já que era para excluir, o líder do PSD poderia ter "pegado no telefone" e comunicado a decisão, já que Marcelo tinha manifestado a sua disponibilidade em avançar há poucos meses (em Outubro de 2013). "Há um anos, com maus indicadores económicos, mesmo que não gostasse, Pedro Passos Coelho teria que tolerar certo tipo de candidaturas". Agora, continuou Marcelo, "com indicadores positivos, na cabeça de Passos Coelho, ele pode ganhar as próximas legislativas e definiu o perfil de Presidente com quem quer trabalhar" - sintetizou.

Durão Barroso pode ser o nome preferido do líder do PSD, segundo Marcelo, mas Rui Rio é outra das hipóteses.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG