Maioria impede acesso a documentos do BES

Requerimento do PS para comissão de inquérito aceder a documentação na posse do Banco de Portugal foi chumbado pelo PSD e CDS/PP

A maioria parlamentar, PSD e CDS/PP, chumbou esta manhã um requerimento do PS para que a comissão parlamentar de inquérito, que investiga várias compras de material militar, tivesse acesso a documentação do antigo BES relacionada com a compra dos dois submarinos para a Marinha.Os documentos, agora na posse do Banco de Portugal, poderiam permitir qual o destino de 30 milhões de euros que o consórcio alemão que vendeu os navios a Portugal pagou à ESCOM, uma empresa que chegou a pertencer ao Grupo Espírito Santo.

Segundo o requerimento do deputado socialista José Magalhães, os documentos na posse do Banco de Portugal, após a extinção do BES, poderiam dar à comissão de inquérito informações relevantes sobre a "celebração do contrato de financiamento da aquisição de dois submarinos pelo Estado português; a intervenção da Espírito Santo Commerce SA no procedimento de aquisição de submarinos, designadamente os fluxos financeiros através do sistema bancário nos anos de 2004 e seguintes entre a Escom SA e :

Escom uk, Escom British Virgin Islands, Espírito Santo Resources Ltd e Espírito Santo International Holding SA".

Estas últimas sociedades tiveram ligações comerciais com a MAN/Ferrostaal, para quem prestaram assessoria no âmbito do processo de compra de dois submarinos pelo Estado português. Pelos seus serviços, a ESCOM recebeu 30 milhões de euros, uma verba já considerada pelo Ministério Público como muito elevada face aos reais serviços prestados.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG