Maioria chumba pedido de audição a Miguel Macedo

Os partidos da maioria chumbaram os requerimentos do PS e do Bloco de Esquerda para uma audição parlamentar ao ministro da Administração Interna sobre os incêndios florestais que deflagraram no Algarve, indicou um deputado socialista.

Os requerimentos apresentados pelo PS e pelo Bloco de Esquerda foram hoje apreciados e votados na comissão parlamentar de Agricultura.

Em declarações à agência Lusa, o deputado do PS Miguel Freitas considerou que o PSD e o CDS estão a "bloquear todas as iniciativas da Assembleia da República" para tentar obter esclarecimentos sobre o incêndio que lavrou entre 18 e 21 de julho na Serra do Caldeirão, entre Tavira e São Brás de Alportel.

O socialista considerou de "extrema importância" que seja feito um esclarecimento sobre o pedido do ministro Miguel Macedo para a elaboração de um segundo relatório sobre os fogos no Algarve, depois de um primeiro documento elaborado pela Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC).

"O primeiro relatório foi entregue, e faria todo o sentido ouvir o senhor ministro sobre essa matéria e perceber o que falhou para ter solicitado um segundo relatório por peritos independentes", afirmou Miguel Freitas à Lusa.

Após este segundo relatório, o PS irá apresentar um novo requerimento para tentar novamente ouvir Miguel Macedo no Parlamento.

"A maioria tem procurado desvalorizar esta questão, mas nós voltaremos à carga", insistiu o deputado, acrescentando que não interessa apenas ter a presença do ministro no final da fase "Charlie" dos incêndios, em outubro.

Para o PS, é importante que Miguel Macedo esclareça o Parlamento, em concreto, sobre o fogo de julho, no Algarve, e sobre os relatórios pedidos.

Depois de ter recebido o primeiro relatório elaborado pela ANPC, Miguel Macedo determinou uma avaliação a estes fogos por parte de uma entidade independente.

O ministro esclareceu, entretanto, que este segundo relatório não tenciona ser um "contra-relatório" e que não descredibiliza a ANPC, porque não se trata de fazer uma avaliação política, mas sim técnica.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG