"Maioria absoluta será má para Lisboa", diz João Ferreira

Candidato comentou as primeiras projeções, que apontam para a renovação da maioria absoluta do cabeça de lista do PS, destacando, contudo, o "reforço" percentual da CDU.

As projeções ainda não permitem a João Ferreira saber se a CDU conseguirá obter um ou dois mandatos na Câmara Municipal de Lisboa, mas o cabeça de lista da coligação PCP/PEV congratula-se com as primeiras estimativas que vão sendo lançadas.

"São ainda projeções, que apontam para intervalos relativamente grandes. Em todo o caso, se olharmos ao limite inferior dos intervalos que são apresentados significa que, em qualquer circunstância, a CDU subirá em percentagem nestas eleições. Era um objetivo que tínhamos e que foi alcançado, o que confirma o muito bom acolhimento e a confiança que nos foram demonstrados durante a campanha", afirmou logo após terem sido conhecidas as primeiras projeções para a maior autarquia do País.

As sondagens apontam para um intervalo entre os 9 e os 12% para a CDU - poderá alcançar um ou dois mandatos no executivo camarário -, enquanto o PS, com António Costa, deverá revalidar a maioria conquistada há quatro anos. O atual líder do município poderá ter entre 51 e 55% dos votos, algo que não agrada a João Ferreira.

"Se se vier a confirmar, será mau para a cidade. Mas o mais importante será o reforço da CDU", defendeu, antes de garantir que assumirá o cargo de vereador, que virá a acumular com o de eurodeputado.

Registe-se ainda que em 2009, a CDU obteve 8,07% dos votos na capital.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG