Machado da Cruz interrompe audição contra divulgação das suas declarações

Ex-contabilista do GES, ouvido na comissão de inquérito ao BES, não gostou que a informação tivesse vindo a público. Trabalhos já foram retomados.

Francisco Machado da Cruz não gostou que as suas declarações tenham chegado aos meios de comunicação social e pediu a interrupção da sua audição na comissão parlamentar de inquérito à gestão do Banco Espírito Santo (BES) e do Grupo Espírito Santo (GES).

O comissaire aux comptes tinha invocado o segredo de justiça para ser ouvido à porta fechada na tarde desta quinta-feira, uma vez que é arguido em processos criminais que decorrem no Luxemburgo, onde estava sediada a Espírito Santo International (ESI), holding do grupo.

Antes disso, o contabilista dissera aos deputados que tinha sido Ricardo Salgado, antigo presidente do BES, a impor a manipulação das contas da ESI desde 2008, cujo buraco em 2013 ascendia a 1300 milhões de euros.

Entretanto, os trabalhos da comissão já foram retomados.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG