Lula da Silva terá falado a Passos em favor da Odebrecht

Ex-presidente brasileiro encontrou-se com Passos Coelho em 2014, para lhe dar conta do interesse da construtora brasileira nas privatizações portuguesas. Lula é acusado de tráfico de influência no Brasil.

Telegramas diplomáticos a que o jornal brasileiro Globo teve acesso indicam que Lula da Silva terá tentado favorecer a atividade da construtora Odebrecht em Portugal e em Cuba. Em território nacional, o antigo presidente brasileiro terá mesmo chegado a conversar com o primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, reforçando o interesse da Odebrecht na privatização da Empresa Geral de Fomento portuguesa.

Segundo o Globo, existem dois telegramas que relatam a movimentação de Lula a favor da Odebrecht em Portugal: em 25 de outubro de 2013, o embaixador brasileiro em Lisboa, Mário Vilalva, enviou para o Ministério das Relações Exteriores do Brasil um comunicado sobre a visita de Lula a Portugal que ocorrera entre os dias 21 e 23 daquele mês, deixando claro que a viagem se devera a convite da construtora e que Lula se encontrara em Lisboa com vários empresários brasileiros, nomeadamente com o pai de Marcelo Odebrecht, presidente do conselho de administração da empresa.

Menos de sete meses depois, o mesmo embaixador deu conta da ação direta de Lula em favor da Odebrecht, que estava interessada na privatização da Empresa Geral de Fomento portuguesa, apesar da resistência de alguns municípios nacionais. Vilalva informou que "o ex-presidente também reforçou o interesse da Odebrecht pela EGF ao primeiro-ministro Pedro Passos Coelho".

O jornal brasileiro recorda que Lula deu então uma entrevista à televisão portuguesa, a propósito dos 40 anos do 25 de Abril, tendo chegado a defender uma participação maior das empresas brasileiras nas privatizações em Portugal, sem especificar nomes. Terá sido em encontro privado que Lula falou a Passos Coelho dos interesses da Odebrecht, ainda que na agenda do Instituto Lula se registe que a reunião serviu para discutir a situação económica mundial e o Campeonato do Mundo de Futebol no Brasil.

Mas a Odebrecht acabou por não formalizar proposta para a compra da EGF, que acabou vendida a um consórcio de empresas portuguesas por 149,9 milhões.

Para Cuba, Lula da Silva terá viajado várias vezes, encontrando-se na ilha com o presidente da Odebrecht - que já foi detido - e com José Dirceu, em prisão domiciliária devido à condenação após o escândalo do "mensalão". Lula reuniu também com Fidel e Raul Castro. As visitas a Cuba terão sido pagas pela construtora.

Exclusivos