Legislativa 2015: Costa pede mobilização total ao PS

Porque "todos os votos contam" e "faltam só duas semanas", "não podemos descansar", disse esta noite António Costa, num comício em Portalegre

Para o líder socialista, o objetivo neste círculo de apenas dois deputados (atualmente 1 do PSD e outro do PS) é fazer o pleno dos eleitos

"Esta é a hora de acordar toda a gente" e de todos os militantes de se empenharem em mobilizarem para o o voto no PS todos os que se foram manifestado descontentes com a governação da coligação PSD/CDS.

Costa voltou a tentar virar a seu favor a discussão sobre a possibilidade de o PS vencer em votos mas a coligação vencer em deputados eleitos - "um novo problema que inventaram".

"Não vamos deixar esta matéria para os juristas. Tem de ser o povo a decidir", disse. Acrescentando que essa decisão tem de ser "o PS ter votos e mais deputados" porque isso significará "dizer a todos" que não haverá nenhum corte nas pensões, que serão repostos os valores cortes nas reformas, que será reposto o Complemento Solidário para Idosos, os abonos de famílias, que "a sobretaxa do IRS vai mesmo acabar" e que "serão devolvidos os sálarios cortados na Função Pública".

Antes de Costa falou Luís Testa. O cabeça de lista do PS no círculo de Portalegre pediu ao futuro Governo do PS que construa a barragem do Pisão - um velho sonho do Alto Alentejo que ficou em suspenso quando António Guterres se demitiu de primeiro-ministro, no final de 2001.

António Costa não deu resposta ao pedido e também já tinha procedido da mesma maneira horas antes, em Évora, quando o cabeça de lista, Capoulas Santos, pediu que na próxima legislatura se construa na cidade um novo hospital, com cem milhões de euros captados através de fundos comunitários.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG