Junta Metropolitana do Porto "fez o que estava ao seu alcance" para defender Aeroporto

O presidente da Distrital do Porto do PS, José Luís Carneiro, considerou hoje que a Junta Metropolitana do Porto "fez o que estava seu alcance" para defender o Aeroporto Francisco Sá Carneiro no contexto da privatização da ANA.

"Estudou o assunto e fez propostas, mas o Governo não ouviu os autarcas da região e corremos o risco de ver seriamente agravado o interesse estratégico da região na sua inserção no noroeste peninsular", disse o dirigente socialista.

José Luís Carneiro falava no quadro do debate sobre o tema "Transportes e Mobilidade - Presente e Futuro", que a Distrital do PS realizou hoje, no Porto, com a participação do presidente da Junta Metropolitana e autarca portuense, o social-democrata Rui Rio.

Na sua intervenção, Rio afirmou que o "futuro dono da ANA terá de respeitar cláusulas que não permitem que o Aeroporto Sá Carneiro, no futuro, se atrase, por exemplo, relativamente ao de Lisboa", reafirmando que o Governo mostrou "abertura" para acolher as "ideias" da Junta Metropolitana apresentou sobre o assunto.

Rui Rio referiu que essas cláusulas deverão ficar inscritas no "contrato de concessão" da ANA, que "será assinado ainda este ano"

Para José Luís Carneiro, a proposta que a Junta Metropolitana fez ao Governo "visa correr atrás do prejuízo".

"Aquilo que nós desejamos é que esta corrida não venha a prejudicar os interesses da Região Norte", completou.

O PS entende que o Governo devia ter optado pela "privatização parcial e autónoma" da ANA, para "garantir que os atores locais, públicos e privados, possam participar na administração do Aeroporto Francisco Sá Carneiro".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG