João Rendeiro acusado por mais sete crimes

Antigo presidente do BPP foi novamente acusado pelo Ministério Pública. Desta vez, estão em causas crimes de falsidade informática e falsificação de documento

O antigo presidente do Banco Privado Português (BPP), João Rendeiro, foi acusado esta sexta-feira pelo Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) de Lisboa por seis crimes de falsidade informática e um crime de falsificação de documento. Além de Rendeiro, o Ministério Público acusou ainda os ex-gestores do Banco Salvador Fezas Vital e Paulo Guichard e mais dois antigos quadros do BPP, Fernando Lima e Paulo Lopes.

Em causa estão procedimentos internos no BPP que terão ocultado das contas do banco avultados prejuízos. Uma situação que também foi alvo de um processo de contra-ordenação do Banco de Portugal e cujo processo está a ser julgado no Tribunal da Concorrência e Supervisão, em Santarém.

Ao mesmo tempo, João Rendeiro, Salvador Fezas Vital e Paulo Guichard estão a ser julgados nas Varas Criminais de Lisboa por suspeitas de burla qualificada aos antigos clientes da Privado Holding.

Exclusivos

Premium

EUA

Elizabeth Warren tem um plano

Donald Trump continua com níveis baixos de aprovação nacional, mas capacidade muito elevada de manter a fidelidade republicana. A oportunidade para travar a reeleição do mais bizarro presidente que a história recente da América revelou existe: entre 55% e 60% dos eleitores garantem que Trump não merece segundo mandato. A chave está em saber se os democratas vão ser capazes de mobilizar para as urnas essa maioria anti-Trump que, para já, é só virtual. Em tempos normais, o centrismo experiente de Joe Biden seria a escolha mais avisada. Mas os EUA não vivem tempos normais. Kennedy apontou para a Lua e alimentava o "sonho americano". Obama oferecia a garantia de que ainda era possível acreditar nisso (yes we can). Elizabeth Warren pode não ter ambições tão inspiradoras - mas tem um plano. E esse plano da senadora corajosa e frontal do Massachusetts pode mesmo ser a maior ameaça a Donald Trump.