Jerónimo diz que Governo não vai cumprir mandato

O secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, afirmou hoje que "se o Governo está mais isolado" isso deve-se "fundamentalmente à luta dos trabalhadores" e disse acreditar que o executivo não vai cumprir o mandato.

O líder comunista falava aos jornalistas durante o desfile da CGTP no Dia do Trabalhador, que percorre a Avenida Almirante Reis desde a Praça do Martim Moniz até à Alameda Dom Afonso Henriques, em Lisboa.

Jerónimo acusou o Governo PSD/CDS-PP de "covardia" e de esconder as novas medidas de austeridade "no concreto, mas já com o montante decidido".

"Que falta de coragem em dizer aos portugueses aquilo que pretende", disse.

O dirigente do PCP congratulou-se "pela dimensão do protesto e da luta" na manifestação do 1.º de Maio, que "transforma este maio num dos maiores maios jamais realizados, contra a corrente e a ideologia das inevitabilidades".

"Creio que é uma resposta magnífica dos trabalhadores", considerou Jerónimo de Sousa, elogiando "a combatividade" dos manifestantes, num quadro em que muitas vezes "é difícil fazer face ao medo".

"Isto não é um ponto de chegada, é preciso dinamizar a luta, prossegui-la, se hoje este Governo está mais isolado isso deve-se não às suas contradições internas mas fundamentalmente à resposta de luta que os trabalhadores têm dado ao longo destes meses", advogou.

O secretário-geral comunista disse depois acreditar que "este Governo não vai durar até 2016, porque se durasse inevitavelmente o povo português iria sofrer muito".

"Quando mais depressa este Governo for derrotado melhor, dar a palavra ao povo é fundamental para salvaguardar os direitos ameaçados", concluiu.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG